terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Papa Treasures a Nova coleção

Durante todo o ano de 2011 vocês acompanharam semana a semana, mês a mês, várias remodelagens que transformavam completamente uma miniatura de D&D em uma outra criatura. Foram 40 criaturas remodelas usando mais de 100 miniaturas no processo. E foi de longe o que os meus leitores mais se agradaram.


Throughout 2011 you followed, week by week, month by month, several renovations that turned an existing D & D miniature into another totally new. 40 creatures were remodeling using over 100 miniatures in the process. And that was by far the favorite of my readers.


Todo o processo, desde a escolha das criaturas, das miniaturas, do design final, da montagem e remodelagem da mesma foi extremamente extenuante mas muito gratificante. 


The entire process, from choosing the creatures, miniatures, the final design, assembly and remodeling of it was extremely strenuous but very rewarding


Após a conclusão do trabalho, volta e meia eu recebia e-mails pedindo que voltasse a fazer o trabalho, recebi ofertas por miniaturas reconstruídas, que por enquanto continuam não estando a venda.


Upon completion of the work, now and then I received e-mails asking to re-do the job,  i get offers for the minis i had made, which while still not being for sale.


Acima de tudo recebi muitas palavras de incentivo. E no final achei que deveria continuar com o processo. Desta vez, com uma prancheta já visualizando novas possibilidades, novas escolhas e novas criaturas.


Above all, I received many words of encouragement. And in the end I thought I should continue with the process. This time, with a clipboard already seeing new possibilities, new choices and new creatures.


É com prazer que anúncio hoje que estou reiniciando o processo de remodelagem, com a coleção Papa Treasures II - Forgotten Sun.


It is with pleasure that announcement today that I am restarting the process of remodeling, with the collection Papa Treasures II - Forgotten Sun.


Esta nova coleção tem como tema principal resgatar criaturas das antigas edições de D&D e apresentar possibilidades para o colecionador de modificar criaturas que possua criando monstros totalmente novos, e mais uma vez usando as miniaturas que possuem.


This new collection has as its main theme, rescue creatures of old editions of D & D, and present possibilities for modifying the creatures that a collector have into entirely newmonsters, and once again using the miniatures you have.


O nome Forgotten Sun se deve ao fato de que eu vou concentrar meus esforços para trazer a vida criaturas de dois dos mais famosos cenários de D&D: Dark Sun e Forgotten Realms, além de várias outras criaturas que comporão o novo set, que novamente será composto de 40 criaturas. Pela experiência adquirida no ano passado, devo iniciar os trabalhos agora em fevereiro e concluí-lo até final de novembro ou antes, mais tardar inicio de dezembro.


The name Forgotten Sun is due to the fact that I will concentrate my efforts to bring to life creatures from two of the most famous cenarys of D & D: Dark Sun and Forgotten Realms, and various other creatures that make up the new set, which again will be made at 40 creatures. The experience gained last year, makes me say that, if I start my work in February i can finish it at November or earlier,  later at December.


Não tenho completo os nomes das criaturas que formarão o novo set, mas tenho estes nomes para apresentar por enquanto:


I do not have full set names of all the creatures of this new set, but I alredy have the first 10 names to presentfor now:


1 - Guardian Yugoloth
2 - Simbul
3 - Catfolk Champion
4 - Bullywug Hero
5 - Ibradlin
6 - Mul Arena Fighter
7 - King Oboul Many Arrows
8 - Crawling Claws
9 - Noctral
10 - Oglash
11-40 ????


As dez primeiras criaturas já estão em processo de criação sendo que algumas já estão concluídas. E o melhor esta semana já saio apresentando a primeira da lista. 


The 10 / 1 creatures are already being created and some are already completed. Best, on this week, the first will be presented.


Enquanto as novas criaturas não vem, afinal irão ser apresentadas ao longo de todo o ano, que tal dar uma espiadinha nas 40 criaturas do ano anterior?


As new creatures do not come, - after all it will be presented throughout the year,- how about giving a peek of the 40 creatures from the earlier year?


Eis aqui o primeiro set Papa Treasures, e as primeiras 40 criaturas que remodelei.


Here is the first set Papa Treasures, and the first 40 creatures i have redesigned and created.




Apenas os heróis:
The heroes:




Apenas as criaturas grandes:
The large creatures:



Apenas os vilões:
The villains:


Todas as outras criaturas médias e pequenas.
All other small and medium creatures.


Portão de Castelo (Gatehouse Castle)

Em minhas andanças para achar cenários para colocar minhas miniaturas me deparei com alguns itens interessantes. A coleção de miniaturas Mage Knight nunca me interessou, assim como as de World of Warcraft acho no geral estas minis desproporcionais e sem os atrativos necessários para uso ou fomento a coleções.


No entanto recentemente comecei a notar que Mage Knight possui outros atrativos que me despertaram a atenção. Assim como Heroscape possue parte de sua atenção voltada a criação dos terrenos para que suas miniaturas possam jogar, Mage Knight também possuem produtos nesta linha.


Em especial a linha Castle. Onde você pode adquir uma Torre, muralhas, forte e o portão de castelo.


Eu resolvi então dar uma olhada no material e iniciei com o Portão do Castelo. E me surpreendi com o que vi. Realmente eu gostei muito. A embalagem em que vem o material é muito bem feita e valoriza demais o produto. Acredito que ela é em torno de 30% mais espaçosa do que o produto real. No interior da embalagem se encontra muito bem embalados com plástico moldáveis de proteção o Portão do Castelo, uma miniatura de um sentinela de Mage Knight - ao qual sinceramente não dei muita bola - um pequeno manual de uso do portão para Mage Knight para os interessados. Sequer o abri, vi que é preto e branco, não tenho interesse no jogo, apenas no portão e sua escultura.




A escultura devo dizer é muito bem feita. Muito rica em detalhes. O portão tem dois usos distintos, pois cada uma de suas extremidades é feito com um tipo de portão. O "externo" que se apresenta em forma de grade levadiça que pode ser tanto erguida como abaixada.


E o "interno" que possue então portas-duplas de "madeira", com espaço para tranca e duas argolas de manuseio. Obviamente o usuário pode fazer uso disto como quiser, e inverter os usos de "externo/interno".


O que sinceramente me agradou mais foi a escala, pois com a escultura sendo tão magnifica do jeito que é, me restava saber se eu conseguiria aproveitar a mesma com meus materiais de RPG, obviamente falando de D&D. Na imagem abaixo tirei uma fotografia da torre bem frontal mostrando o posicionamento correto que a mesma fica encaixada em um mapa de D&D, embora as imagens anteriores também já dem uma idéia, acredito que frontal é onde se visualize melhor o aproveitamento da mesma. O portão acaba ocupando 6 quadrados de 2,5cm por 4 quadrados de profundidade, ou seja 15cm x 10cm de área de ocupação. Uma ótima escala.


Resolvi fazer alguns testes, e coloquei o portão com algumas miniaturas  médias de D&D. Tanto a miniatura da base como a do topo ficaram perfeitas usando o Portão como cenário.


Nesta nova imagem, adicionei uma criatura gargantuan, um dragão dranco ancião, ao lado da torre, aproveitei para colocar no topo dela alguns rangers de pathfinder - também com escala perfeita de D&D - para criar um cenário de comparação, e mais uma vez curti o que vi.


A impressão final do produto me impressionou muito e devo dizer que em breve estarei aqui postando mais itens do castelo até o ter completo. Alguém pode vir a perguntar, mas porque trazer por partes. O problema é que como o produto é grande o risco de taxação na alfandega é muito grande sem falar do frete. Apenas o frete desta torre ficou na casa dos U$ 40,00. Ou seja vou trazer um por vez, devagarinho, mas em breve penso em postar o cenário completo.

Mais a mais imagine quantas sessões de jogo eu posso criar com estas belezinhas. Imaginem a cena, um paladino solitário voltando pra casa, em sua torre em meio ao deserto, mas ao abrirem suas portas, a vista não é bem a qual a desejava...


Ficou com vontade de criar uma aventura e mestrar? Eu também.

Game of Thrones Segunda Temporada na HBO

Dia 01 de abril está marcado para ser a estréia da segunda temporada de The Game of Thrones na HBO, pelo menos para quem não for brasileiro. Seria bom pra variar se conseguissemos assistir ao seriado ao mesmo tempo em que ele é lançado mundo a fora.


Mas fora este pequeno contra-tempo,...


Well, eu não cheguei a comentar o seriado ainda, percebi recentemente este meu equivoco. Comentei os livros, mas não o trabalho feito pelos canais HBO. Que na minha opinião sempre são excelentes. Na real, estes mini-seriados ou blockbuster como queiram, são obras milionárias do canal que teve seu auge e ínicio quando da realização de Roma, e após Band of Brothers e The Pacific. Obras simplesmente obrigatórias para qualquer bom fã de bom trabalho da tela pequena. Pois é, infelizmente até agora ninguém teve a idéia de lançar seriados no cinema. Juro que ia assistir.


Falando especificamente de Game of Thrones a série para TV da HBO, os produtores e diretores conseguem se dividir entre bons e maus momentos. No geral a série em sua primeira temporada foi bem fiel ao livro, e a caracterização da maioria dos personagens foi realmente perfeita. Um dos grandes poréns a meu ver na primeira temporada foi o pouco papel desempenhado pelos lobos dos Starks, estas criaturas possuem papel fundamental na trama, e são esquecidas na maioria da obra.


Os diálogos permanecem fiéis, e eu diria que o todos os principais momentos estão registrados na série, que ao meu ver, embora excelente, não se compara ao prazer da leitura da obra de George R.R. Martin, autor da saga, Crônicas de Gelo e Fogo, ao qual o primeiro livro se entitula de Jogos de Tronos.


A obra televisiva optou pelo nome do primeiro livro para dar vida a série da TV, embora não me encomode, qualquer alma desavisada que não tenha lido as continuações, pode começar a assistir a segunda temporada ou as próximas e se dar de cara, com temas que desconhecia.


A segunda temporada de Game of Thrones como não podia ser diferente, apresentará os fatos que acontecem no segundo livro, chamado de A Fúria dos Reis. Acredito que os fãns podem esperar vários expoilers do terceiro livro, nesta temporada.


O grande mérito da série e dos livros, é que ambos se complementam de maneira extraordinária. Se eu pudesse dar um conselho eu diria: leia os livros, após assista a série. Isto não vai extragar um ou outro, mas vai complementar ambos e fica até mais fácil para o telespectador entender algumas cenas do seriado.


Me parece, que o seriado tende novamente a acertar. Assim como no primeiro livro, tivemos a grande influencia de Ned Stark e o seriado cobriu isto de maneira magistral, o segundo livro transcorre principalmente sob a tutela de Tyrion Lannister.


Confesso que entre o primeiro livro e o segundo, prefiro o prazer da leitura que o livro original me concedeu, mas ao assistir o teaser de lançamento do seriado, algo me diz que a segunda temporada que irá estreiar na HBO, será deveras mais intrigante e atraente para os telespectadores do que foi a primeira.


São as maravilhas do mundo moderno que não tem fim. Hoje um autor disponibiliza uma obra fantástica de leitura e amanhã alguém a torna realidade atrás da televisão e do cinema.


O teaser é de apenas um minuto, mas se concentra sobre a charada de Varys para Tyrion, transformando adequadamente o momento em uma grande previa do que está por vir.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

O ídolo e a torcida

No dia 16 de janeiro em uma segunda-feira a tarde acabei matando serviço na minha agência e na companhia de meu irmão, minha cunhada e meu pai, fomos assistir o treinamento do Internacional que estava fazendo pré-temporada na cidade de Gramado, distante 35km (meia hora de viagem) da minha cidade.


Ali perto dos jogadores do Inter, assistimos um treino descontraído, e ficamos pertinho daqueles que defendem a camisa a qual amamos. Tinha gente gritando, chorando, torcendo, vibrando. Do outro lado do aramado, os jogadores em sua rotina de trabalho, olhavam de relance aos apelos dos torcedores que imploravam por autógrafos.


Concentrados no trabalho, a maioria tentava ignorar os mesmos, mas volta e meia lançava um aceno. Quase ao final do treino, um dos jogadores cedeu a torcida, e veio correndo para o fundo de uma goleira, posar pra fotos e assinar alguns pequenos papeis, e camisetas distribuindo seu autógrafo. O treino não havia acabado, mas ali estava ele ao fundo do campo, já com uma pequena multidão que se aglomerou. Eu estava entre eles. De longe tirei uma foto, daquele que é o maior idolo do Internacional, atualmente: D´Alessandro.


O treino seguiu, e depois houve mais distribuição de autógrafos, desta vez com a participação de mais jogadores. Acompanhando de longe ouvi um colega colorado perguntar: "E a libertadores Dale, ganhamos?" "Vamos torcer que sim." Respondeu o argentino.


Mal sabia eu, que a frase do argentino acenderia um clamor não visto no Rio Grande do Sul desde 1969 quando Figueroa, nos deixou para seguir carreira. No dia seguinte, o clube chinês Shanghai Shenhua, surpreendeu os colorados, pois havia feito uma proposta para nosso ídolo argentino. R$ 1.000.000,00/mês, era a proposta salarial oferecida ao nosso maior craque. 


Uma proposta que todo colorado sabia, que dificilmente o clube iria conseguir cobrir, e que sabiamos dificilmente o jogador se recusaria. Quando o Internacional estreiou no campeonato Gaúcho deste ano, o nome do jogador que ecoou no estádio, não foi o de nenhum em campo. Poupado para jogar o primeiro jogo da Pré-libertadores, D´Alessandro ficou sabendo da manifestação em casa. As vozes dos colorados de todo o Rio Grande do Sul se uniram em um apelo: "Fica D´Alessandro!". Era um coro, um hino, um clamor, um pedido, vindos da voz de todo colorado.


Quando o argentino em meio a negociação dava ares de despedida em suas entrevistas e manifestações, se reencontrou com a torcida no jogo contra o Once Caldas na última quarta-feira, sequer imaginava o que representava para a nação colorado. Ele sabia que era um idólo sim, sabia que era importante para o grupo, se conhecia como jogador, e julgava que conhecia a torcida. Mas quando seu nome foi anúnciado no auto-falantes do estádio, nenhum outro nome se ouviu depois.


O coro, o hino, o clamor, o pedido, vindos da voz de todo colorado, se fez ouvir frente a frente a pessoa que o era direcionado. O argentino manteve a compostura durante toda a partida, e fez o que sabe fazer melhor, jogou bola. Jogou a bola da despedida. Fez um jogo magnifico. Não foi a melhor atuação do colorado, nem a melhor de D´Alessandro. Mas foi uma bela atuação. Ao final aplausos de ambos os lados e o coro, o hino, o clamor, o pedido, que se prolongava, fez-se ouvir até a casa do jogador.

No final de semana, quando o coro, o hino, o clamor, o pedido, parecia se extinguir, veio a noticia. D´Alessandro fica. Houve um aumento salarial que nem perto cobre a proposta chinesa. Houve conversas entre dirigentes, e principalmente com Fernandão, grande ídolo do clube, jogador vencedor dos maiores títulos do mesmo, que em sua despedida, não teve nada nem parecido com o que se fez pelo argentino. Mas ele, em nome e com a direção do clube se doaram para deixar o argentino no Rio Grande do Sul, junto com a nação colorada.

O argentino disse em seu agradecimento twitter, em suas entrevistas, que ele nunca havia sonhado que um dia em sua vida, teria seu nome ovacionado assim, que tantas pessoas lhe dedicariam tamanho carinho, a ele e a sua família. Disse que não se imaginava em outra cidade no mundo, mais feliz do que estaria aqui, e após uma boa negociação, onde longe da hipocresia, houve sim valores, mas principalmente calor humano, D´Alessandro ficou no Internacional.

A maior contratação do time vermelho este veio de dentro dos portões do Beira-Rio. O argentino mostrou algo que o santista Neymar mostrou ao mundo recentemente. O dinheiro não é tudo nas negociações. É importante? Claro que é. Mas não é tudo.

Eu em vida, nunca vi, presenciei ou sequer tenho a menor lembrança de fato parecido ter acontecido no Beira-Rio. Diz meu pai, que nem com Falcão teve isto, e me lembro nem Fernandão teve o mesmo. O argentino não tem os títulos de Fernandão, nem o reconhecimento de sua nação como Falcão o teve, mas D´Alessandro, tem o reconhecimento, a admiração e a paixão dos colorados, impregnados em seu futebol, nos dribles de La Boba, no seu temperamento abrasivo, no seu apelido de "cabeção". 

A primeira conquista do ano do Internacional em 2012, não se travou dentro dos campos. Ela se travou entre os corações de ídolo e torcida. D´Alessandro figura atualmente fácil, fácil entre os 10 jogadores mais importantes da história do clube, e sinceramente, na parte de cima da lista.

coro, o hino, o clamor, o pedido da torcida foi ouvido pelo ídolo.
Ele, não resistindo aos apelos, se aproximou da torcida novamente para dizer que ficava.
Se repetindo, ele novamente atendeu a torcida, como naquele dia em Gramado.

Obrigado D´Alessandro

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

20000 Visitas

Uau! E hoje 27 de janeiro alcancei - aliás já superei - a marca de 20000 visitas.

Poxa, em exatos 6 meses após ter completado 10000, eu já cheguei neste número. Estou muuuito feliz.
E o que me impressiona e muito é ver que pelo Analytics, a média de tempo no meu blog aumentou para 5:40 minutos, e a taxa de rejeição continua ali nos 60%, o troço chato que não baixa, mas fazer o que, quantos entram no meu blog só pra pegar uma imagem. A deixa eles, eles contam afinal naqueles milhares ali em cima.

Mas falando sério,...

Quero agradecer a todos que tem acompanhado e deixado um pouquinho do seu tempo, lendo as linhas que escrevo. Meu muito obrigado mesmo!

Mapas de Lord of The Rings Heroclix

Continuando no assunto referente as miniaturas de O Senhor dos Anéis para Heroclix da Wizkids, quero hoje comentar os 3 mapas com uso frente e verso ilustrando seis locais diferentes para as batalhas dos usuários do jogo.




Os seis locais são:
O porto de Pellenor, A fortaleza de Helm, Minas Tirith, as Minas de Moria, Dique de Helm e um campo de batalha.


Três deles achei maravilhosos, Minas Titith, Moria e a Fortaleza de Helm. Os mapas ficaram ilustrados de forma  idêntica as apresentadas na tela do cinema por Peter Jackson, achei bárbaros.


Os mapas são maiores do que os de DDM, possuem tamanho total de 92 x 60cm, com escala quadricular de 3,7 cm, ou seja 1,2 cm maiores do que a escala de DDM. Ainda assim, os mapas podem ser usados para DDM sem problemas, fiz várias simulações de movimento e posicionamento e o cenário não compromete. Portanto se alguém quiser usar para este fim, os mapas não comprometem.


Como são para Hercoclix, os mapas possuem várias sinalizações e apontamentos para o jogo impressos nos mesmos, mas não comprometem as ilustrações em geral. Outra coisa interessante é que todos os mapas possuem envernizamento, fazendo com que eles fiquem com brilho além da conta. Dependendo do local onde você irá jogar, isto pode fazer com que os mapas parecem muito mais escuros do que realmente são, e alguns detalhes podem deixar de ser visto.


Se você no entanto usa-los em locais com luz natural a visualização dos mesmos será muito melhor aproveitada.


Seguem agora imagens de todos os cenários:


01 - Campo de Pellenor. - Este cenário representa o porto, onde atracam os navios que fazem comércio com Minas Tirith, na obra de Jackson, ele aparece bem quando Aragorn atraca no mesmo com uma legião de mortos vivos.




02 - A Fortaleza de Helm - Achei muito legal o mapa, e acredito que ele fala por si só.



03 - Minas Tirith, simplesmente sem palavras. obviamente observando este mapa em especial notamos que a escala correta deveria ser menor (os locais são, mais distantes um do outro, logo talvez quadrados de meio centimento fariam melhor juz as distâncias) mas temos que entender que é representativo e a finalidade é para um jogo de miniaturas.



04 - As minas de Moria. - Este mapa me impressionou com a riqueza de detalhes do cenário. Cliquem na imagem para amplia-la e verem do que eu falo. Esta ilustração, no entanto sofre em especial com iluminação artificial ao que eu percebi, pois a mesma escurece e muito vários de seus detalhes.

05 - Campo de Batalha; este cenário em especial me traz as recordação do momento em que Aragorn e Frodo se encontram nas ruinas de Amon Hen, mas acho que ele está mais para as ruínas de Weathertop, embora acredito que não deva representar nenhuma delas em especifico. Ainda assim achei um dos melhores cenários - considerando apenas a ilustração e cenário e não o tema a que se refere.


06 - E por último Helm´s Dike, sinceramente achei o piorzinho. Com tantos cenários mais legais a serem retratados fiquei um pouco decepcionado. MAS, como preciso entender que estes mapas são para jogos de miniaturas, entendo que este deve ter sido escolhido por favor estratégico para o jogo especificamente, pois é o único com terreno aberto.


E concluindo a postagem de hoje deixo uma imagem de de um dos cenários onde usei miniaturas de DDM, mostrando que o mesmo é perfeitamente usável para o mesmo fim, embora eu repita, os quadrados sejam maiores. Mas na minha opinião, não comprometem, inclusive dependendo da criatura grande até ajuda.


quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Povo da Fúria - Cap 7. Seq. 2

As horas de caminhada até Immilmur acabaram por se tornar as mais longas nas vidas dos jovens sobreviventes a emboscada.
                Observando com atenção o caminho desenhado em um mapa que encontrava-se em um dos corpos sem vida de um dos tutores, Toul pode analisar e ponderar sobre sua localização. Faltava menos de uma hora para os jovens chegarem a Mulptan, a primeira parada da comitiva. Lá Toul esperava encontrar furiosos para quem reportar o que acontecera e principalmente sobre quem eles estavam levando consigo.
                Mas as enormes manchas de fumaça que ele avistara no céu na noite anterior vindo de regiões próximas despertou em muito sua curiosidade. Ele ordenara que Alan, um dos bárbaros sobreviventes da tribo e conhecido por ser um ótimo corredor fosse dar uma olhada em quem pudesse estar  acampando por trás das colinas que antecediam a cidade para qual os jovens estavam se encaminhando.
                Com freqüência o jovem bárbaro olhava para o horizonte esperando pela volta da amigo. Normalmente o sinal de uma acampamento seria convidativo, mas o encontro com o arcano e o ataque no caminho fizeram com que o jovem se torna-se cauteloso.
                Havia alguma coisa errada e ele não sábia o que. Para completar Jekita que sempre lhe acompanhava e aconselhava estava cabisbaixa e pensativa. O jovem acreditava que a perda de tantos amigos em único e fulminante ataque pudesse ter abalado a confiança da jovem, mas Jekita tinha pensamentos mais sombrios habitando sua mente.
                A jovem observava o mago vermelho com curiosidade tentado descobrir o que estava se passando. Era óbvio que o mago era algum peão menor em alguma trama, alguém que levara a pior em algum combate, mas Jekita não acreditava que esses agressores seriam Rashemis. Tanto os bárbaros quanto as bruxas simplesmente não o teriam deixado solto no reino. O simples ataque, tão devastador, mostrava que aquele homem tinha algum tipo de importância. E o que mais desmoralizava a jovem fora a falta de confiança e o temor que ela tomara das bruxas.
                Jekita sempre considerou o fato de que uma bruxa segue caminhos diferentes, afinal o esforço para a compreensão de uma magia ou a dedicação a um deus para receber seus benefícios não vinham sem nenhum custo.
                Mas falta de escrúpulos?
                Percebendo que o arcano acordava ela se aproximou dele.
                - O que você sabe que é tão precioso a ponto de valer nossas vidas? – A jovem falou com uma voz firme e autoritária.
                - Nada que valha sua vida, ou o esforço de tentarem me levar para seus líderes. – o arcano replicou, entre soluços e pausas causadas pela dor e cançaso que dominavam seu corpo.
                - Não me venha com sarcarmo, cão! – a jovem ameaçou – Ou pelos deuses juro que o julgamento mais justo que vai ter vai ser a ponta de minha lança atravessando seu corpo.
                Ikal não respondeu, apenas sorriu. Um sorriso de desdém de quem não se importava. Ele estava marcado para morrer, não importa o que fizesse ele não tinha para onde ir nem para onde voltar, ...então, porque ajudar a bárbara? Na verdade se ela acabasse com ele, estaria lhe fazendo um favor.
                O olhar do mago confirmou os pensamentos da jovem, ele era uma marionete condenada. Os magos eram conhecidos por sua crueldade e sua força de vontade, eram também conhecidos por tentar a todo custo barganhar por sua vida quando ameaçados e sem saída. O homem, se é que podia se chamar de homem o jovem mago que parecia não ter ainda vinte anos de idade, havia perdido o desejo pela vida, estava conformado com seu destino.
                Provavelmente ele era um condenado. Um criminoso qualquer, alguém que deveria ser simplesmente eliminado.
                Mas o que não se encaixava fora a tentativa de assassinato, cruel e sem precedentes que os jovens presenciaram. Rashemis matando rashemis? Jekita sabia que o mago não iria lhe dizer nada, o fato de ele não ter mais chances de vida,  não acabara com sua maldade. Para ele o simples fato de os deixar na ignorância já o deliciava.
                O mago era importante sem dúvida nenhuma. Ela fechou seu rosto numa expressão fria e vazia, se pudesse ela eliminaria o arcano ali mesmo, mas ele possuía informações realmente valiosas consigo, e ela estava certa de que no momento oportuno iria descobrir, mais cedo ou mais tarde.
                Os passos apressados que ecoaram de volta chamou a atenção da jovem e dos demais membros do grupo. Toul precipitou-se para ver que noticias seu amigo Alan trazia pois era ele quem surgia apressadamente entre as moitas que lhes protegiam naquele anoitecer.
                O jovem gritou a todo pulmão, deixando o restante do grupo atemorizado.
                - Orcs! Centenas deles! Acampados a menos de meia hora daqui!

                               *             *             *             *

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Mansão Assolada - ShadowGhast Manor

Eu passei algum tempo pensando em como traduzir a palavra "Shadowghast", primeiro pensei em assombrada, mas como o termo "haunted" deve aparecer logo, logo, desisti. A tradução ao pé da letra também não me agradou. Por fim decidi por "assolado". Um lugar assolado normalmente é por coisas desagradáveis. E esta mansão pode-se dizer que está assolada de mortos-vivos.

Pelo menos é o que as ilustrações parecem querer representar. O novo conjunto de módulos encaixáveis representa uma mansão bem construída e seu lado obscuro.




Com o padrão de 6 lâminas, "Shadowghast Manor" divide suas faces entre ilustrações da mansão, e de uma possível catacumba. Tendo todas as páginas de um lado, para criar uma mansão, ou fortaleza, um forte, o que o usuário imaginar na verdade, e o outro todas as páginas ilustrando câmaras com caixões, tumbas, sarcófagos, - mais uma vez, me repetindo: o que o usuário imaginar - espalhados por todo lado.




O que me agradou muito neste conjunto de módulos foi na verdade a liberdade que ele oferece a mestres e jogadores em criar um cenário específico e adequado para mortos vivos. O mestre poderia iniciar a aventura com os heróis em visita a mansão, bela e maravilhosa durante o dia, e que a noite se transformava em algo sombrio e assustador, assolado por todo tipo de monstros e pestes.


Óbviamente cada pessoa pode ver um uso diferente para o seu trabalho e dirigi-lo para a maneira que quiser. 


Eu gostei bastante deste novo set, achei diferente, interessante e principalmente: útil. Acho que pode ser um dos mais usados para roleplay e aventuras.


Abaixo como de costume alguns cenários que construí com ele.


A mansão:



A catacumba:



A mansão com ligação da catacumba:




E finalizando, uma coisa que eu acredito é que para aproveitar bem este módulo, se você puder, compre pelo menos dois. Isto fará com que você tenha condições de ampliar a mansão e as catacumbas.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Presente da Papa Treasures

Esse ano o povo vai acabar recebendo o presente de ano novo da Papa Treasures quase no meio do ano.
Brincadeira, acredito que na primeira de quinzena de fevereiro todo mundo já o tenha recebido.


Infelizmente as compras de final de ano acabaram ficando com as entregas atrasadas e com isso o material acabou chegando apenas no final de dezembro. Sendo que acabou me pegando bem no meio do período de férias e as coisas acabaram se complicando.


Mas com uma ajuda especial das minhas filhas, tocamos todo dia um pouco de pintura aqui e ali, e fomos trabalhando pra fazer uma miniatura especial.


Olha, não é um dragão. Um monte de gente me pediu se seria. Não é. E vou dizer o seguinte: Deu muito mais trabalho do que qualquer outra coisa que eu tenha resolvido fazer neste meio.


Acabei sacrificando um monte de coisas, para poder finalizar estas dezenas de miniaturas. As filhotas ajudavam e atrapalhavam. As vezes o trabalho era divertido, e as vezes não. Mas por fim quando estava tudo pronto pulamos e gritamos de alegria.


Cada um de vocês, sendo que alguns já devem estar com a miniatura em mãos, vão receber um Feral Troll este ano. E a pintura é assinada por mim e por minhas filhas Alana e Júlia.




Assim como a maioria das miniaturas do boardgame Legends of Drizzt (como vocês verão em breve) eu acabei aproveitando o tom original das miniaturas e apenas acrescentando cores. Com isto toda a cor verde-clara da miniatura é sua por origem. O grande lance que eu achei é que Feral Troll é uma das minis raras de Desert of Desolation mais dificeis de se achar e com um valor agregado de mais de R$ 60,00 em sua mini original. Alias encontrar um troll destes antes era privilégio de poucos, mas agora eles irão desembarcar em várias casas pra se degladiarem com todo tipo de heróis.










O cenário base, novamente tem assinatura das filhotas que desta vez acrescentaram "rochas" como parte da ambientação, tudo sob minha supervisão. Espero agora que todos eles achem lugar nos lares aos quais estão chegando, e quanto a mim e minhas filhas já estamos pensando na próxima jornada de trabalho, enquanto elas anseiam por colocar o pincel em alguma coisa, eu fico matutando pra saber sobre o que vai ser.






Feliz 2012 da Papa Treasures, atrasado, mas como diz o ditado: "antes tarde do que nunca."